Linha ferroviária Porto-Bragança incluída por Plano Ferroviário Nacional

Sex, 18/11/2022 - 09:25


Está em cima da mesa uma ligação ferroviária Porto-Bragança, com passagem por Vila Real

O Plano Ferroviário Nacional foi apresentado ontem à tarde pelo Governo, para concretizar até 2050. O coordenador de trabalho para o plano, Frederico Francisco, explica que este percurso tem que ser feito em menos de duas horas.

“Uma nova linha que sirva Vila Real e Bragança, que tinham um serviço ferroviário que hoje não faria sentido retomar, estamos a falar de viagens entre Vila Real e o Porto que demorariam três horas, viagens entre Bragança e o Porto, que demorariam cinco horas. A única forma que faz sentido é ligar as duas capitais de distrito com uma linha nova, com tempos de viagens competitivos com a ferrovia. Isso significa que a viagem Vila Real-Porto deve demorar menos de uma hora, a viagem Bragança-Porto deve demorar menos de duas horas”, explicou.

Esta ligação começou a ser ouvida depois da Associação Vale do Douro ter apresentado um projecto que prova a viabilidade de uma ligação Porto-Bragança. O presidente da associação, Luís Almeida, defende que a linha de Trás-os-Montes tem de ser totalmente nova.

“A linha de Trás-os-Montes tem que ser totalmente nova, a começar no Aeroporto Sá Carneiro e deriva para a linha do Douro, mas é a linha de Trás-os-Montes que deriva e não o contrário, na zona de Vila Meã. Ganharíamos tempos de viagens para a região do Douro e em pouco mais de uma hora podíamos estar da Régua ao Aeroporto Sá Carneiro”, disse.

Luís Almeida entende ainda que Miranda do Douro também deve ser incluída na estratégia ferroviária.

“Vamos apresentar nos próximos dias uma variante à nossa primeira proposta em que vamos agregar mais a zona de Miranda, que vai permitir evitar os problemas de foro ambiental que poderão estar na proposta inicial ao passarmos o Parque de Montesinho, mas que, por outro lado, vão agregar mais território e permitir o tempo de viagem a Zamora”, referiu.

O Plano Ferroviário Nacional foi aprovado pelo Governo e vai agora a consulta pública. Vai ainda ser feita avaliação ambiental e, mais tarde, será levado à Assembleia da República para ser transformado em lei.

Escrito por Brigantia e Universidade FM (CIR)