Já não há concelhos do distrito em risco extremamente elevado de contágio da Covid-19

Ter, 23/02/2021 - 16:36


O distrito de Bragança já não tem qualquer concelho em risco extremamente elevado de contágio da Covid-19, quando na semana passada, três ainda constavam no mais grave dos escalões definidos pelas entidades de saúde.

As boas notícias não se ficam por aqui, já que agora a maioria dos concelhos já está no escalão moderado, o menos grave do mapa de risco de contágio.

É o que revela o boletim da Direção-Geral de Saúde, desta segunda-feira, que indica a taxa de incidência cumulativa nos 308 concelhos do país, em 14 dias, entre 3 e 16 de fevereiro.

Relativamente ao mapa da DGS da semana passada, não há agora nenhum concelho do distrito no risco extremo de contágio com mais de 960 casos por 100 mil habitantes.

Neste escalão, estavam Alfândega da Fé, Mirandela e Vila Flor. Uma semana depois, Mirandela e Vila Flor baixaram para o escalão muito elevado, entre 480 e 960 casos por 100 mil, enquanto Alfândega da Fé teve uma descida ainda mais acentuada, caindo para o escalão moderado com menos de 240 casos por cem mil habitantes.

No escalão elevado, constam agora 3 concelhos: Bragança, Carrazeda de Ansiães e Vimioso, todos tiveram, em 14 dias, entre 240 e 480 casos por 100 mil habitantes.

No risco moderado, há agora sete concelhos: para além de Alfândega da Fé, também estão Freixo de Espada à Cinta, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Mogadouro, Torre de Moncorvo e Vinhais.

OS NÚMEROS POR CONCELHO

Tomando como referência os números da DGS, entre 3 e 16 de fevereiro, Vila Flor foi o mais afetado com um total de 827 novos casos por 100 mil habitantes, que representam, na prática, 50 novos casos em 14 dias.

Ainda assim, uma redução significativa face ao anterior período homólogo, quando tinha registado 110 casos novos.

Seguiu-se Mirandela com 584 por cem mil, o que representa 127 casos novos de infeção, registando uma diminuição superior a 50%, dado que tinham sido detetados 268 casos no período anterior de 14 dias.

O terceiro mais afetado do distrito, foi o concelho de Carrazeda de Ansiães que viu serem infetadas mais 27 pessoas, o equivalente a 477 casos por 100 mil habitantes. Na semana passada havia registado 42 novos casos.

Vem depois Bragança com 423 novos casos por 100 mil, que equivalem na realidade a 142 casos nos 14 dias, quando na semana passada o registo foi de 318 novos casos.

Com 273 novos casos por 100 mil habitantes aparece o concelho de Vimioso, o que significam 11 casos novos, nesse período de tempo, o único concelho que aumentou, face ao anterior período homólogo, já que havia registado 10.

Miranda do Douro teve 16 novos casos em 14 dias, menos 29 que a semana passada, convertido à proporção dos 100 mil habitantes dá 234 novos casos.

Alfândega da Fé, registou apenas 10 novos casos em 14 dias, em contraste com os 88 da última contagem, o que dá um total de 220 casos por cem mil habitantes.

Mogadouro teve 16 novos casos, em 14 dias, quando anteriormente contou 54, o que indica que teve 191 casos por 100 mil.

Vinhais registou 181 casos por 100 mil habitantes, o que representou 14 novos casos, menos 59 que no período homólogo.

Macedo de Cavaleiros teve, de 3 a 16 de fevereiro, 25 novos casos, quando anteriormente tinha registado 84 (172 por cem mil)

Torre de Moncorvo contou mais 11 pessoas infetadas (143 por 100 mil), quando nos 14 dias anteriores tinha registado 26 e finalmente Freixo de Espada à Cinta foi o menos atingido com apenas 4 novos casos (121 por cem mil), quando há uma semana o registo foi de 16.

São os dados atualizados da taxa de incidência do novo coronavírus por concelho, revelados, esta segunda-feira, pela DGS. É ainda possível concluir que, entre 3 e 16 de fevereiro, o distrito de Bragança teve um total de 453 novos casos de Covid-19, menos 681 do que no anterior período de contagem de 14 dias.

Escrito por Terra Quente (CIR)