PUB.

Moradores de aldeias assaltadas relatam prejuízos em igrejas e casas do povo e dizem temer que ladrões voltem

PUB.

Qua, 20/09/2023 - 09:06


A madrugada de segunda-feira ficou marcada por uma onda de assaltos em várias aldeias de Bragança

Além do dinheiro e ouro levado das igrejas, casas do povo e juntas de freguesia, os prejuízos foram avultados. Em Fontes Transbaceiro, os ladrões destruíram a porta da igreja e reviraram todo o interior, conta a moradora Maria da Conceição Ferreira. “A fechadura tinha um buraco grande, à volta. Entrámos e vimos que estava tudo revirado. Até abriram o sacrário e deixaram-no escancarado. Mas também não tinham nada que roubar porque a igreja é pobrezinha. Não havia lá esmolas. Trata-se do prejuízo e da desarrumação que fizeram”.

No Parâmio foi assaltada a igreja, de onde os ladrões terão levado ouro. A casa do povo também foi assaltada mas nada de valor terá sido levado.

Maria Helena da Silva vive no Parâmio e diz que se sente insegura, receando que os ladrões voltem. “Ninguém dá conta de nada porque aqui não há pessoas. Acho que ninguém ouviu nada. Se ouvissem não saiam a ver que se passava? Aqui não há pessoas. Não há ninguém. Daqui a pouco as aldeias estão completamente desertas. A mim assusta-me bastante porque uma pessoa está sozinha… nem é pelo que levam, é pelo mal que podem fazer às pessoas”.

Em Gondesende, foi roubado dinheiro da casa do povo. Também houve assaltos em Terroso e Espinhosela e em Soeira e Fresulfe, no concelho de Vinhais.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Carina Alves / Ângela Pais