PUB.

Furtos de castanhas obriga GNR a fiscalizar soutos

PUB.

Qua, 08/11/2023 - 09:08


Numa região onde a castanha é o sustento de muitas famílias, a GNR está a fiscalizar os soutos, impedindo que o fruto seja furtado

Na semana passada já foram detidas cinco pessoas em Mogadouro por roubarem castanhas.

“Bom dia. Somos da GNR de Bragança, andamos pelos soutos a dar conselhos às pessoas, que andam apanhar castanha”. É assim que a GNR chega junto dos produtores de castanha para os alertar para os cuidados a terem. E os conselhos são vários. “Não o deixar o equipamento e os sacos pelos soutos, porque podem ser furtados. Tirar fotografias ao equipamento para possivelmente poder referenciar em caso de furto. Também fazer um inventário de todo o material que possa utilizar. Fazer uma marca na costura dos sacos, para os poder identificar”, alertaram os guardas.

Luís Carlos Teixeira andava com o soprador na mão quando os militares da GNR de Bragança se aproximaram. Ouviu o guarda explicar-lhe os cuidados a ter, mas alguns já os conhece bem, até porque já lhe roubaram castanhas. “Eu nunca deixo assim os casos, levo-os sempre. Já sabemos que é perigoso. Se os deixamos, já sabemos que quando vimos já não estão lá. Há muitos anos deixamos um saco no outro lado da aldeia, quando voltamos já não o encontrámos”, contou.

O produtor admite que tem medo que lhe levem as castanhas, até porque é o seu sustento. Por isso acha importante que a GNR ande por perto. “É bom. Eu apanho muito castanha e não sei se acabo no mês de Novembro. Mas vêm os búlgaros e não respeitam nada, mesmo que não estejam apanhadas, chegam aqui e apanham por aí, onde as encontram”, disse.

Carlos Vale foi outro produtor do concelho de Bragança abordado pela GNR. Tinha andado apanhar castanha e estava no seu armazém a fazer a limpeza do fruto, quando os militares chegaram. Admite que faz parte do grupo de agricultores que já foi roubado.

“Houve um ano que fomos a um souto e até encontrámos lá os fios de ligarem umas luzes para as apanharem. Chegámos lá e não havia lá nenhumas. Aquele souto devia ter para aí 15 sacas, fomos lá e não tinha nenhumas”, lembrou. Por isso considera que a patrulha da GNR é importante, porque “só que vejam passar o carro, já não roubam durante o dia, pelo menos”.  

De acordo com o comandante do Posto Territorial de Bragança, António Patrício, esta acção de fiscalização decorre até 7 de Dezembro e está a surtir o efeito desejado.

“Vamos aos locais, falamos junto dos proprietários de terrenos, de quem anda a recolher castanha e sensibilizá-los para terem alguns cuidados ao nível da prevenção de furtos. Comparativamente ao ano passado e até ao momento, registam-se muito menos furtos”, avançou.

A GNR aconselha a evitar armazenar castanhas em sítios isolados, a acumular grandes quantidades de castanha, negociar de preferência com pessoas da sua confiança e desconfiar de preços elevados atractivos. Pede ainda que os produtores tirem fotografias ao equipamento para referenciar em caso de furto e para fazerem marcas nos sacos para poderem ser identificados.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Ângela Pais