Diocese abre Centro de Conservação e Restauro em Sendim

Qui, 12/03/2015 - 09:19


 A diocese de Bragança-Miranda dispõe agora de um Centro de Conservação e Restauro de Arte Sacra, dotado de um Conselho Científico.

O equipamento situa-se na vila de Sendim, no concelho de Miranda do Douro. O bispo diocesano, D. José Cordeiro, acredita que esta unidade vai dar uma resposta à necessidade de preservação do património religioso do Nordeste Transmontano. “No passado, houve muitas situações infelizes na conservação e restauro da arte sacra e no cuidado das nossas igrejas. Fez-se de qualquer maneira, sem estudo prévio e muitas vezes até sem o conhecimento da Comissão Diocesana de Arte Sacra. Este centro não vai fazer tudo na diocese, mas tem de haver um trabalho coordenado e autorizado pela comissão”, sublinha D. José Cordeiro. O presidente da Comissão de Arte Sacra e dos Bens Culturais da Diocese de Bragança-Miranda, padre António Pires, explica que existem vários casos a precisar de intervenção no património religioso da diocese. O presidente de Miranda do Douro, Artur Nunes salienta que esta unidade vai permitir também a fixação de jovens ao concelho.“Como temos muito património as necessidades de recuperação podem sentir-se mais pontualmente numa paróquia ou outra, há casos mais emergentes eventualmente. Este centro também tem uma acção de formação para os mais jovens, para se sensibilizarem para o património religioso”, refere António Pires, um dos impulsionadores do projecto. Para já, o Centro de Conservação e Restauro de Arte Sacra criou cinco postos de trabalho qualificados. A unidade, instalada num edifício recuperado no centro da vila de Sendim, custou 140 mil euros, tendo contado com o apoio da CoraNe - Associação de Desenvolvimento dos Concelhos da Raia Nordestina, através do Programa de Desenvolvimento Rural - PRODER.
Escrito por Brigantia.