PUB.

Carnaval fez aumentar taxa de ocupação nas unidades hoteleiras e de turismo rural na região

PUB.

Seg, 12/02/2024 - 09:12


O Carnaval veio trazer um impulso à economia da região, com as unidades hoteleiras e de turismos rurais com uma elevada taxa de ocupação

Segundo os dados avançados pelo Turismo do Porto e Norte, a taxa de ocupação nos hotéis da região ronda os 75% para o Carnaval e o Dia dos Namorados.

Junto à aldeia de Podence, Filipe Loio, da Casa da Eirinha, destaca a lotação garantida durante esta época do ano, com reservas feitas também com grande antecedência. “Nesta altura há sempre lotação garantida. Há muita afluência de pessoas. No meu caso, maioritariamente pessoas nacionais, nem é estrangeiros. Com  bastante antecedência já tinha estas reservas feitas”, referiu.

Rui Mota, proprietário da Casa da Avó Maria, em Podence, no epicentro do Carnaval na região, destaca que a procura pelo alojamento é constante ao longo do ano, “com uma taxa de ocupação de 45%”. “Há bastante procura e não é só no Carnaval. Por causa do Azibo temos hóspedes praticamente o ano todo”, disse.

No entanto, nem todas as regiões de Trás-os-Montes beneficiam igualmente das festividades carnavalescas. Sofia Alves, proprietária da Residência Afonso V em Santulhão, no concelho de Vimioso, onde se comemora o Festival do Entrudo, destaca que a falta de divulgação e tradição na região limita o impacto destes eventos no turismo local. “Há outras festividades que influenciam, mas o Carnaval não tem influência. O Carnaval aqui é mais para as pessoas locais”, disse.

À margem do Festival do Butelo e das Casulas, em Bragança, Luís Pedro Martins, presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal, reconhece o potencial de crescimento do turismo na região e enfatiza a importância da cooperação e promoção conjunta para impulsionar ainda mais o sector, sem ser na época do Carnaval. “Mais articulação entre todos e não é só aqui em Bragança, mas na região, para prender mais o turista por aqui. Os resultados começam a aparecer e chegamos agora aos 27 milhões de turistas em Portugal e foi muita à custa da promoção feita nestas regiões, que eram desconhecidas do mercado mundial e as pessoas quando saem daqui, saem com um grau de satisfação elevadíssimo”, adiantou.

O Carnaval e outras festividades na região de transmontana não só preservam as tradições culturais, mas também impulsionam a economia local, especialmente no sector de turismo e alojamento.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Daniela Parente