ULS Nordeste implementa Via Verde Coronária

Ter, 12/12/2017 - 09:24


A Unidade Local de Saúde do Nordeste tem em funcionamento desde ontem a Via Verde coronária. A medida vai agilizar a resposta aos doentes que apresentem sinais de enfarte do miocárdio fazendo com que sejam atendidos mais rapidamente na urgência. De acordo com o director do Serviço de Urgência Médico Cirúrgica de Bragança, Tiago Loza, o novo protocolo de atendimento vai permitir servir a população de uma forma mais rápida e organizada.

 A via verde prevê a que “seja iniciado o protocolo de tratamento dos doentes mais rapidamente de forma a evitar complicações”. Segundo o responsável são doentes “cujo tratamento é tempo dependente, quanto mais tempo se passar pior são os resultados para os doentes”. Com a via verde coronária “os doentes têm benefício em fazer um electrocardiograma em 10 minutos e o tempo máximo de tratamento é de 90 minutos. Os doentes passam à frente dos outros por uma razão de benefício do tratamento para os doentes”.

De acordo com o responsável do serviço de urgência, a taxa de enfarte no nordeste transmontano é inferior a outras regiões, registando-se cerca de 300 casos por ano na área de abrangência da ULS Nordeste, e desses apenas 5 por cento têm de ser transferidos para o Hospital de Vila Real, o mais próximo com laboratório de hemodinâmica.

“A Via Verde Coronária vai parar o enfarte, evitar que continue e resolvê-lo mas o tratamento definitivo para que não haja novos enfartes e sofrimento é o laboratório de hemodinâmica com a colocação de próteses nas artérias coronárias, que evitam que haja novos enfartes”, adiantou ainda.

Norberto Silva, o enfermeiro chefe do departamento de urgência da ULS Nordeste, destaca que mesmo nos casos mais graves, o tempo de resposta é encurtado, factor fulcral para evitar sequelas e melhorar as hipóteses de recuperação:

“A partir da triagem na urgência são directamente encaminhados para o médico especialista hospitalar nessa patologia, isso permite poupar tempo e esse factor é crucial. Se pouparmos tempo desde que o doente entra na porta do serviço de urgência estamos sempre a ganhar tempo e a recuperar tecido cardíaco, diz-se que tempo é miocárdio, é músculo”, frisou.

O Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica do Hospital de Bragança passa assim a ter as quatro vias verdes existentes no Serviço Nacional de Saúde. Depois de já ter implementado via verde do AVC (Acidente Vascular Cerebral), do Trauma e de Sépsis tem também agora a Coronária. Escrito por Brigantia.