Miranda do Douro pede mais atenção do ICNF para as áreas ardidas do Parque do Douro Internacional

Seg, 11/12/2017 - 10:37


A chuva está de volta mas os prejuízos deixados pelos incêndios do verão não estão esquecidos. Pelo menos por parte de quem foi prejudicado pela catástrofe. 

O Parque Natural do Douro Internacional foi afectado por três grandes incêndios este ano e Miranda do Douro, que faz parte da área abrangida pelo parque, pede agora ao Instituto de Conservação da Natureza e Florestas que tome em atenção estes territórios.
Artur Nunes, o autarca mirandês, diz-se disponível para discutir soluções com o ICNF para ajudar as populações e propõe uma reflorestação da área.
“A proposta que eu faço é que o ICNF, que tem esta responsabilidade de gestão do parque que não é apenas uma responsabilidade de fiscalização, mas é uma competência também de prevenção e manutenção. Deveria ser o próprio ICNF a tomar medidas, falar com as autoridades locais e regionais para encontrar um plano de prevenção e manutenção do espaço. A ideia seria desmatar a área ardida e reflorestar.”
O presidente da câmara de Miranda do Douro, vai mais longe nas críticas à actuação do ICNF nesta situação acusando mesmo de falta de interesse para com estas populações.
“ Eu acho que não é apenas um processo de fiscalização eu acho que tem de haver um processo de prevenção. Nesta altura em que estamos num período de Inverno em que temos a consciência da quantidade de área que ardeu, temos toda essa avaliação feita por parte da câmara municipal, dos bombeiros e da protecção civil. E não temos nenhuma informação por parte do ICNF. Eu acho que cada um tem que assumir as suas responsabilidades, destacando aqui a falta de interesse e a falta de diálogo do ICNF com as câmaras municipais de uma competência que é exclusivamente deles.”
Reivindicações que o autarca considera serem transversais a outros concelhos abrangidos pelo parque.
A Brigantia tentou contactar o ICNF para falar sobre este assunto mas até ao momento ainda não foi possível obter uma resposta. 

FOTO: Rui João