PS ganha Macedo de Cavaleiros e Mirandela e fica com maioria das câmaras no distrito

Seg, 02/10/2017 - 10:07


O Partido Socialista no distrito de Bragança tem agora a maioria das câmaras e ganhou duas ao Partido Social-democrata: Mirandela e Macedo.

Mirandela, um bastião social-democrata, vai ser pela primeira vez governado por uma socialista, depois de nas eleições autárquicas Júlia Rodrigues ter vencido a câmara.

Júlia Rodrigues conseguiu 47,6 por cento dos votos, contra 41,3 de António Branco, uma diferença de 900 votos que foi suficiente para obter a maioria absoluta no executivo, beneficiando da queda vertiginosa do CDS/PP, que teve o pior resultado de sempre no concelho. Paula Lopes obteve apenas 5,3% e com isso não consegue qualquer mandato.

Na hora da vitória, Júlia Rodrigues diz ter sido a vitória de uma equipa e promete ser a presidente de todos os mirandelenses.

“Foi a vitória de uma equipa, estou feliz e quero ser a presidente de todos os mirandelenses. Os nossos compromissos são para cumprir, ansiava uma mudança e estamos a concretizar esse outro caminho”, destacou.

Para o presidente da Federação Socialista, Carlos Guerra, a vitória destas duas câmaras foi recebida com grande alegria pela surpresa e pelo significado de viragem no distrito.

“Foi uma grande alegria, o PS nunca tinha ganho em Mirandela e temos finalmente a segunda maior cidade do distrito, associado ao que esperamos que seja um grande ciclo de desenvolvimento em Macedo de Cavaleiros. Esta grande alegria que compensa a tristeza em Bragança, significa que passamos a ter a maioria das câmaras”, sublinhou.

Outra das surpresas foi Macedo de Cavaleiros que também deixou de ser PSD. Benjamim Rodrigues teve mais votos do que Duarte Moreno, que se candidatava para um segundo mandato.

Benjamim Rodrigues venceu com 5475 contra 4908 de Duarte Moreno, que tentava um segundo mandato. Foi um resultado com que o socialista contava mas a diferença de votos, 567, deixou surpreendido o candidato vencedor, que atribui o desfecho ao descontentamento dos eleitores no concelho.

“Tinha alguma esperança que conseguíssemos nivelar estas eleições, no entanto surpreendeu-me um pouco porque de facto vencemos com uma diferença considerável”, referiu.

Por Vinhais a votação foi renhida, mas Luís Fernandes, o candidato do PS acabou por levar a melhor com uma diferença aproximada de 73 votos sobre Carlos Almendra apoiado pela coligação PSD/ CDS-PP.

Foi já depois da meia-noite que se souberam os resultados e o vencedor reconheceu que foi uma vitória difícil.

“Estou muito feliz por esta vitória, que é uma vitória difícil atendendo ao contexto, há uma mudança de ciclo e houve um aposta grande por parte do CDS e do PSD, ma foi uma vitória saborosa”, referiu.

Em Bragança, o resultado foi menos surpreendente, com O PSD a manter a liderança da câmara municipal.

Hernâni Dias consegue o segundo mandato e reforçou a maioria, tendo agora 5 vereadores, mais um do que há quatro anos, mantendo o PS 2 vereadores na câmara municipal. O vencedor admitiu que esperava um bom resultado, que vê como um reconhecimento do trabalha dos últimos 4 anos.

“Se dissesse que não esperava um bom resultado não estava a ser correcto, tinha esperança que depois de todo o trabalho feito ao longo dos últimos quatro anos pudéssemos ser reconhecidos”, afirmou.

Apesar de satisfeito com a vitória no distrito, Carlos Guerra saiu derrotado na corrida à câmara de Bragança com pouco mais de 27% de votação em Bragança ou seja 5225 votos. O PSD conseguiu mais do dobro dos votos: 10859, que corresponde a 56,84%.

O PSD também conseguiu a vitória da freguesia de Sé, Santa Maria e Meixedo, mas com uma margem menos folgada, Telmo Afonso do PSD alcançou 3426 votos enquanto a candidatura independente a Força da União, encabeçada por José Pires teve 3178 votos. O PS obteve 17, 26 por cento nesta votação, com 1664 votos.

O PSD conseguiu ainda a vitória em outras 33 freguesias das 39 do concelho.

O PS fica com 7 das 12 câmaras do distrito, além da grande surpresa que foi a vitória de Júlia Rodrigues, em Mirandela e de Benjamim Rodrigues em Macedo de Cavaleiros. Em Vinhais, Luís Fernandes resistiu com dificuldade à candidatura de Carlos Almendra.

Em Alfândega da Fé venceu Berta Nunes com 1941 votos, contra 1746 de Vítor Bebiano. Em Vila Flor, Fernando Barros ganhou com uma percentagem de 47,50% dos votos, 39,77% para a coligação Acreditar encabeçada por Pedro Lima e o Bloco de Esquerda teve 7, 71% dos votos. Em Mogadouro, Francisco Guimarães marcou o favoritismo ao vencer por mais 574 votos que Manuel Cordeiro, o candidato da coligação CDS-PP/PSD. Em Miranda do Douro, Artur Nunes conseguiu manter-se no município e vai para o seu terceiro mandato tendo sido eleito com 2634 votos, contra os 2411 que obteve o ex-presidente do concelho Mirandês Manuel Rodrigo.

Quanto ao PSD, além de Bragança , revalidou a vitória em Torre de Moncorvo com Nuno Gonçalves a ser eleito com 3194 votos. Em Vimioso, esmagadora vitória para Jorge Fidalgo na sua reeleição com 57,27% dos votos. Em Carrazeda de Ansiães a tradição laranja mantém-se na vila e João Gonçalves é eleito com 2069 votos contra os 1894 da coligação Unidos por Carrazeda. Em Freixo de Espada à Cinta Maria do Céu Quintas, conquistou 1261 eleitores que a reconduziram para um segundo mandato.

O Partido Socialista detém agora a maioria das câmaras do distrito, já o PSD perdeu a liderança de duas das principais cidades do nordeste transmontano. Escrito por Brigantia.