PUB.

Estudantes de Bragança estão a juntar-se a greve mundial de alerta às alterações climáticas

PUB.

Sex, 15/03/2019 - 12:01


Mais de 100 alunos das escolas secundárias Emídio Garcia, Abade de Baçal e Miguel Torga, em Bragança, estão a faltar às aulas para participar numa greve mundial por causa das alterações climáticas

A greve é inspirada no trabalho de uma jovem activista sueca que decidiu fazer greve às aulas em nome do clima. Os alunos pedem assim aos governos que tomem medidas urgentes para combater as alterações climáticas. Na escola Emídio Garcia, reuniram-se perto de quarenta alunos. David Fernandes, um destes alunos, acredita que se trata de uma causa do futuro. “Decidimos que era importante a cidade de Bragança aliar-se a esta causa que é uma causa do futuro, assim como a coesão territorial. Podemos dizer que são os dois grandes objectivos de um governo para o século XXI. Na nossa região começamos a ver que cada vez há mais secas, cada vez mais, no mês de Agosto, o município tem de abastecer aldeias e há cada vez mais doenças dos castanheiros fruto de já não haver invernos rigorosos”.

Em Portugal, os jovens querem uma mudança de paradigma através de medidas como a descarbonização dos transportes particulares e públicos e, por exemplo, uma maior aposta nas energias renováveis.

A greve começou, em Bragança, por volta das oito da manhã. Após as manifestações às portas dos estabelecimentos de ensino, os alunos das três escolas reuniram-se na Praça Cavaleiro de Ferreira, empunhando cartazes e gritando palavras de ordem pela defesa do ambiente. “É uma causa muito nobre. Mais que nunca, nós jovens mostrarmos a nossa indignação para o que se está a passar com o meio ambiente”, alertou uma das alunas, já nesta “reunião” na Praça Cavaleiro de Ferreira. “É um apelo a todas as pessoas, a todos os que têm o dever e têm maneira de fazer algo”, frisou outra estudante.

A greve global dos estudantes às aulas por causa das alterações climáticas foi inspirada na activista sueca Greta Thunberg de 16 anos, que começou a protestar contra a inação dos políticos em Agosto de 2018 e está nomeada para o nobel da paz.

Escrito por Brigantia

Jornalista: 
Carina Alves e Olga Telo Cordeiro