Bastonária denuncia falta de enfermeiros no distrito de Bragança

Sex, 30/10/2009 - 11:14


Há falta de enfermeiros no distrito de Bragança. O alerta foi deixado ontem pela própria bastonária da ordem dos enfermeiros, em Bragança.  

“Há efectivamente ainda uma carência de enfermeiros que tem de ser colmatada, para garantir uma melhoria na oferta dos cuidados de enfermagem. Até porque estamos num distrito com população muito idosa, onde os cuidados de saúde são tendencialmente crescentes. Isto exige da parte dos enfermeiros, uma maior organização do trabalho e uma distribuição que permita ir aonde as pessoas estão.”

Maria Augusta Sousa também não concorda que haja demasiados cursos superiores de enfermagem e aponta o dedo ao Governo pelas políticas de emprego erradas.

“Tem que haver um claro plano estratégico, no que diz respeito à distribuição dos recursos humanos e à cobertura dos licenciados existentes. Não há licenciados a mais. Essa é uma ideia que tem de se desmistificar. O que há é uma política de emprego e contenção económica que não permite que os cuidados sejam garantidos com a qualidade que os cidadãos têm direito.”

E numa altura em que se discute a segurança da vacina da Gripe A, Maria Augusta Sousa deixa um conselho aos enfermeiros do distrito de Bragança.

“Aconselho os profissionais a tomar a vacina. Há muito ruído em torno disto. Enfermeiros, médicos e outros profissionais que têm a responsabilidade de garantir que os serviços continuem a funcionar, também têm a responsabilidade de minimizar situações que possam vir a acontecer se eles próprios tiverem a gripe A. A vacina pode não evitar a gripe A, mas minimiza os seus efeitos”, referiu, confessando que ainda não tomou a vacina, mas que irá tomá-la.

 

Declarações da bastonária da ordem dos enfermeiros, que termina hoje um périplo pelo distrito de Bragança, à margem de um colóquio sobre o curso de enfermagem e Bolonha na Escola Superior de Tecnologia e Gestão, do Instituto Politécnico de Bragança. Perante um auditório cheio, Maria Augusta Sousa deixou uma mensagem de esperança.

“Existem cada vez mais necessidades de cuidados de saúde” e, por isso, vai continuar a haver necessidade de enfermeiros.

Hoje, a bastonária dos enfermeiros tem um encontro com a administração do CHNE.

Escrito por Brigantia