Alfândega da Fé distinguida nas áreas de acessibilidade e turismo pela rede de Cidades e Vilas de Excelência

Seg, 05/12/2016 - 10:45


Alfândega da Fé recebeu a bandeira de nível 2 de excelência. A localidade integra há três anos a Rede Cidades e Vilas de excelência e foi agora distinguida nos eixos de acessibilidades para todos e de turismo. Nos últimos anos, o município tem trabalhado para tornar a vila mais acessível quer em edifícios públicos, como a câmara e a biblioteca municipais, quer em outros espaços que foram alvo da regeneração urbana, conforme explicou Berta Nunes, presidente do município de Alfândega da Fé.

“Para aderirmos a esta rede tivemos de nos comprometer com um plano de acção e escolher algumas das áreas que esta rede inclui. Escolhemos a área de vila acessível e inclusiva, até pelo facto de sermos uma comunidade bastante envelhecida. Na intervenção que fizemos de requalificação do centro da vila, no local das passadeiras rebaixamos o passeio de forma a que uma cadeira de rodas possa passar de um lado para o outro da rua e estamos também colocar rampas nos edifícios e torná-los acessíveis”, garante.

O turismo é outra das vertentes que tem sido trabalhada pela autarquia no âmbito deste projecto, porque a autarquia considera que “o turismo e a atractividade da vila e do concelho é uma oportunidade de desenvolvimento”. “Temos vários compromissos a esse nível da dinamização do espaço público, eventos culturais e agenda turística e de divulgar o alojamento disponível no concelho”, adiantou a autarca.

A rede de vilas e cidades de excelência, que reúne 37 municípios, apresenta 5 bandeiras de níveis diferentes. Alfândega da Fé que é o único concelho do distrito de Bragança que integra este projecto, e ganhou agora a bandeira de segundo nível, mas pretende continuar a subir nesta escala, com a ajuda de fundos comunitários.

A bandeira de vila de excelência que reconhece as boas práticas em matéria de acessibilidade e turismo foi entregue ao município de Alfândega da Fé, na passada sexta-feira. Escrito por Brigantia.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro