Traçado da antiga linha do Tua entre Mirandela e Bragança será transformado numa ecopista

Qua, 19/04/2017 - 09:04


O traçado desactivado da antiga linha do Tua, entre Mirandela e Bragança, deverá ser transformado numa ecopista de cerca de 80 quilómetros.

O projecto é das câmaras de Mirandela, Macedo de Cavaleiros e Bragança, que já chegaram a acordo com a Infraestruturas de Portugal (IP), entidade proprietária do equipamento.
Os três municípios estabeleceram um protocolo para implementar o projecto, no entanto, mas irão candidatar individualmente cada uma das intervenções para potenciar os volumes de financiamento, já que a dotação máxima do programa Valorizar, ao qual será apresentada a candidatura, é de 400 mil euros.
No entanto, segundo o autarca de Mirandela, António Branco, a promoção do projecto será conjunta, “basicamente há um projecto que une as três câmaras municipais, cada uma naturalmente no seu território e cada uma ficará responsável pela intervenção mas terá uma gestão e promoção conjunta deste canal.”
A intervenção passará pela valorização, limpeza e arranjos daquele troço da linha do Tua onde não passam comboios desde 1991 e também pela reabilitação do edificado, estações e apeadeiros, que se encontram actualmente ao abandono e em adiantado estado de degradação e que servirão de apoio à ecopista. O objectivo é aproveitar o potencial turístico da linha “ será um canal que dará para bicicletas, mas também passeios pedestres, é um tipo de canal bastante utilizado pelo desporto de natureza e por isso nós queremos valorizá-lo através de equipamentos e através de mecanismos de apoio ao longo de todo o antigo canal da linha do Tua”, explicou o autarca de Mirandela.
O valor global do projecto pode ascender a 3 milhões de euros, mas o autarca espera ter oportunidade de candidatar a outros programas algumas das intervenções integradas neste orçamento, como as reabilitações de pontes. As candidaturas serão entregues até ao final do mês de Abril.
Os autarcas esperam que o protocolo de concessão com a IP possa ser assinado até ao final deste mês, para que seja possível candidatar a intervenção a fundos comunitários, e ainda este ano, o projecto avançar. Escrito por Brigantia